Discurso do Embaixador durante Audiência Pública realizada no Senado (13.12.16)

·         Agradeço o convite!

·         A Alemanha está contente com o fato da próxima Conferência do Clima - sob a presidência de Fidschi - acontecer em Bonn, nossa antiga capital federal, na sede do Secretariado do Clima das Nações Unidas. Dessa forma, Bonn constitui cada vez mais um local central da ONU!

·         Meus antecessores já comentaram sobre os resultados concretos do COP 22. Por isso, gostaria de fazer um breve resumo:

·         COP 22 atendeu às nossas expectativas. A mensagem clara da conferência: depois que o Acordo de Paris foi promulgado em tempo recorde, os países estão envolvidos agora em sua implementação.

·         Pode-se constatar que o “espírito de Paris“ continua atuando  – mesmo em tempos de novas incertezas na política externa.

·         Vejo progressos em diversas áreas:

          o   Cada vez mais países levam a sério o combate às mudanças climáticas e implementam os  objetivos que anunciaram.

          o   Combater as mudanças climáticas não é mais apenas um divertimento para os ministros do meio ambiente, mas também o mandamento atual sob o aspecto econômico. As suas políticas tornam-se cada vez mais um gerador de empregos e o garantem um desenvolvimento econômico sustentável.

          o   A cooperação internacional continuará a ser ampliada. Na COP 22, a Alemanha criou juntamente com Marrocos uma „parceria NDC“, com o intuito de melhorar o apoio aos países em desenvolvimento no alcance de seus objetivos climáticos. Alegra-me que o Brasil também tenha aderido à essa iniciativa em Marrakesh.

          o   Com seu “Plano de Combate às mudanças climáticas 2050“, a Alemanha apresentou na COP 22 uma estratégia sobre como queremos alcançar uma neutralidade de carbono - tal como acertado em Paris. Digo honestamente: o processo para elaboração desse plano não foi fácil, houve debates intensos.

         o   Mas são exatamente esses debates que precisamos conduzir. Pois a neutralidade de carbono significa de fato que precisamos evitar quase completamente as emissões provenientes da economia energética, do trânsito, da indústria – e do desmatamento. Isso não se faz em segundo plano, mas exige uma verdadeira transformação.

         o   Perante as iminentes discussões sobre com quais medidas concretas o Brasil irá alcançar seus objetivos climáticos, certamente haverá difíceis debates também. Todavia valerá a pena conduzir esses debates!

 

·         Apenas uma perspectiva para o próximo ano. É um ano importante pela Alemanha porque nos assumimos a presidência do G-20.

·         A Chanceler Federal Angela Merkel já anunciou que um importante objetivo de nossa presidência do G-20 será dar continuidade à implementação do Acordo de Paris.

·         Estamos confiantes que o Brasil será um forte parceiro, pois já demonstrou várias vezes que desempenha um importante papel na área da proteção do meio ambiente internacional.

·         Além disso - e isso vale naturalmente para todos os países aqui reunidos - precisamos enfrentar também os desafios do combate às mudanças climáticas no nível nacional. E justamente onde os atuais números não se desenvolveram adequadamente, cada pais precisa agir de forma decisiva!