Mais do que apenas um avião: O ‘Landshut’ retorna para a Alemanha

O “Landshut” retorna para a Alemanha

Desconhecida no Brasil, a aeronave “Landshut” foi repatriada em setembro, através dos esforços conjuntos do Ministério de Relações Externas da Alemanha, da Lufthansa e do Museu Aeroespacial de Friedrichshafen. As negociações para a repatriação da aeronave foram concluídas pela Embaixada da Alemanha no Brasil e pelo Consulado Geral da Alemanha para o Nordeste, localizado em Recife. A Cônsul-Geral Maria Könning-de Siqueira Regueira, que visitou em diversas ocasiões os técnicos da Lufthansa, responsáveis pela desmontagem, recebeu um forte apoio do Cônsul Honorário da Alemanha em Fortaleza, Hans Jürgen Fiege.

Quase 40 anos depois do sequestro, que deu início a uma época conhecida como "Outono Alemão", o governo alemão decidiu repatriar a sucata do Boeing 737, que se encontrava no cemitério do aeroporto Pinto Martins em Fortaleza / Ceará. O nome pelo qual a aeronave, hoje um símbolo da luta contra o terrorismo dos anos 70, ficou conhecida pertence originalmente à uma cidade no sul da Alemanha. Após a desmontagem, as partes do “Landshut” foram transportadas dentro de um “Antonov 120” para a Alemanha. Especialistas da Lufthansa irão restaurar a aeronave em Friedrichshafen, para que seja exposta no Museu Dornier.

Por ocasião da repatriação a Cônsul- Geral Maria Könning disse, em matéria veiculada pela Folha de Pernambuco: "O avião Landshut é o símbolo de uma verdadeira democracia capaz de se defender, bem como de uma sociedade livre, que não se deixa vencer pelo medo e pelo terrorismo." O ‘Landshut’ foi sequestrado em outubro de 1977 por terroristas palestinos para extorquir a liberação de terroristas presos da RAF. Depois de um voo através de sete países, o avião foi libertado com sucesso pelo esquadrão antiterrorista GSG-9. A aeronave foi utilizada até 1985, a serviço da Lufthansa e, posteriormente, por outras companhias aéreas até seu último voo ter sido realizado por uma empresa aérea brasileira.

Mais notícias: